Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Palavras chave

Liga  akitã  

Últimos assuntos
» Papo Livre
Dom 12 Nov 2017, 21:02 por Atmo

» Dados Fúria de Titans
Qua 08 Nov 2017, 19:07 por Admin

» Coisas Estranhas e Bizarras !
Qua 01 Nov 2017, 23:47 por 087

» Organizações
Sab 28 Out 2017, 22:06 por Pontus Maximus

» Bens Imóveis
Sab 14 Out 2017, 23:02 por Mataro

» Fichas Fúria de Titans
Sab 26 Ago 2017, 15:03 por Mataro

» FÚRIA DE TITANS - A Batalha Final
Ter 01 Ago 2017, 20:17 por Joshua

» Tópico Off - O Desafio - FÚRIA DE TITANS
Ter 01 Ago 2017, 17:23 por Oz

» Zakharov: [Ascensão]
Dom 11 Jun 2017, 21:50 por Mataro


Amarê

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Amarê

Mensagem por Pontus Maximus em Qui 24 Jul 2014, 15:07

História:


     A cerca de aproximadamente 1000 anos atrás começou a ser construída a Ilustre e polêmica nação de Amarê a grande nação, assim como muitas outros reinos no mundo de Airy foi construída através de batalhas, logo depois dos conflitos que deram origem a Área Desmorta, mas teve um outro fator que culminou na criação desse Reino foi algo que raramente seria uma fonte de inspiração para a criação de um país, esse fator foi a Ingratidão.
 
    Conta-se a história que certa vez, o fundado do Reino cansado da batalha retornou para sua casa e família, e quando ele chegou em seu lar ele encontrou suas filhas (já que ele não tinha filhos homens) treinando para se tornarem guerreiras fortes, até ai nenhum problema apesar do fato que o fundador achava que a carreira no Exército ou como Aventureiras seria perigosa demais principalmente para as meninas, mas ele não disse nada a principio, poderia até ser bom para elas pois o mundo de Airy tem muitos perigos e saber lutar não é mal, mas elas já estavam na idade de se casarem e uma delas pelo menos já tinha um noivo.
 
    O Veterano, somente queria saber de relaxar pelos próximos tempos, a paz é algo valioso até para um guerreiro com experiência em conflitos, porém sua mente estava um pouco danificada pelas bizarrices que ele testemunhou na guerra e nas noites de sono que se seguiam ele tinha pesadelos e as vezes não conseguia dormir, mas ele sempre se acalmava quando possuía todo o corpo da sua mulher para ter algum prazer e se sentir melhor novamente. Mas seus problemas não terminaram e uma trágica noticia aconteceu depois do casamento de sua filha, uma semana depois das núpcias ela se tornou viúva, mais tarde ela teria um filho como herança do falecido marido.
 
   Porém na vila onde ele vivia os problemas se intensificaram quando misteriosamente os homens da aldeia começaram a morrer, fosse por morte por doenças mágicas desconhecidas, fosse por mortes trágicas, o guerreiro se viu na obrigação de juntar alguns de sua vila e começaram uma investigação, o pobre guerreiro foi acusado de trazer uma praga da Área Desmorta consigo e então os homens da aldeia começaram a divergir entre si acusando o Herói de guerra e até mesmo uns aos outros, brigas se tornavam mais comuns e o Caos estava tomando conta da Aldeia tornando a região em uma terra sombria para todos e mais algumas mortes aconteciam em alguns dias e o pior de tudo os homens da vila começaram a voltar a vida como Mortos-Vivos, contudo sobre o controle de algumas das mulheres da Vila, incluindo a filha viúva do guerreiro ela havia matado o próprio marido para torna-lo seu escravo e sua esposa era a líder das cultistas do mal. Naquele momento ouve uma inversão de valores e os homens sobreviventes eram poucos para resistirem, o guerreiro pego de surpresa reagiu, afinal de contas ele já havia passado por situações difíceis, porém aquilo era pior, teria que lutar contras as próprias mulheres que eram tão amadas, seus amigos que agora eram nada mais que carne em decomposição e contra seus próprios sentimentos não correspondidos por sua amada e assim formou uma resistência.
 
    Somente as mais jovens não eram alvo de desconfiança, mas o que as mulheres que comandavam os seus mortos queriam afinal? Estavam possuídas por algum poder maligno? O guerreiro não sabia como explicar aquele desastre todo e o porque das mulheres adultas terem ser rebelado de forma tão insana. Mas veio a resposta, algumas delas (não todas) faziam parte de um culto secreto formado por guerreiras e feiticeiras Amazonas e estavam em busca de um poderoso feitiço que as fizessem senhoras do mundo e que esse encanto estava esquecido em algum lugar do subterrâneo daquela vila, este item poderoso daria muitos poderes a quem o possuísse e com ele em mãos os homens do mundo poderiam ser feitos seus escravos fieis (prega a lei das Amazonas que homens são seres inferiores e que servem apenas para procriação, principalmente se forem usados para dar origem a novas meninas). O guerreiro e os outros homens ficaram surpresos e o guerreiro percebeu que o amor de sua amada nada mais era do que uma mentira, então o simples homem junto com os demais elaboraram um jeito de se apoderarem antes da relíquia (ou seja lá o que era), porém era complicado demais um ataque direto, os Mortos-Vivos serviam de guardas para elas como também eram mineradores incansáveis, trabalhando dia e noite nas grutas e cavernas esquecidas da região.
 
   Utilizando estratégias de combate (apesar do guerreiro nunca ter sido alguém de alta patente, sendo assim um simples e humilde soldado de infantaria) ele e mais alguns dos mais fortes aldeões descobriram a principal fraqueza dos Zumbis, Esqueletos e Carniçais do local, aqueles mortos-vivos em especial e somente aqueles ali eram fracos contra o fogo e outras fontes de luz forte (incluindo eletricidade), a sorte é que a maioria das armadilhas locais haviam sido desarmadas por eles na pressa as Amazonas do mau não reativaram a maioria, confiando sua segurança aos desmortos, então ele e um Piquirá que havia se instalado na aldeia com suas tochas e uma estranha arma que dispara raios elétricos ajudaram muito no contra ataque. E depois de semanas lutando para sobreviverem eles adentraram nas principais câmaras de uma tumba antiga e a muito esquecida, parecia uma tumba comum, porém o local era grande com um sarcófago de metal enferrujado no centro da parede e com cânticos profanos a líder da seita (sua mulher) e outras seguidoras estavam prestes a começar a colocarem as chaves nos respectivos locais para a abertura da mesma. Uma névoa cinza começou a tomar conta enquanto elas falavam palavras que destrancariam os cadeados que prendiam o sarcófago, então o guerreiro e os outros temiam por suas vidas, além de feiticeiras e guerreiras bem treinadas estavam protegidas por seus guardas cadavéricos. Mas o futuro estava em jogo e em um ataque surpresa e desesperado o Piquirá havia feito alguns explosivos no pouco tempo que tinha e começou a arremessa-los em direção deles, os mortos receberam ordem para revidarem e o confronto definitivo aconteceu ali mesmo, de forma estratégica as bruxas estavam perdendo território então se apressavam em proteger o local, as guerreiras da seita usavam suas armas dizimaram muitos dos aldeões, mas também havia muitas baixas do lado delas, mas em menor número parecia que a resistência teria seu fim ali mesmo, o guerreiro avançava junto com seu fiel amigo Inventor de engenhocas, os mortos que se encontravam no caminho eram repelidos como alguma das guerreiras do recinto também caiam a fio de espada e armas elétricas, o esforço parecia que daria frutos, mas só pareceu, o Veterano e seu amigo pequenino, apesar de terem derrubando muito das defesas inimigas foram alvos de uma magia da esposa dele, mas não chegou a mata-los, a magia estava enfraquecida pois a líder da seita estava debilitada com o esforço para realizar o ritual, sendo necessário uma quantia considerável de energia sobrenatural para realizar o feito.
  
     Ambos os lados estavam enfraquecidos e o lado dos aldeões iria sucumbir em breve, um a um caiam, mas não morreriam em vão se ele pudesse evitar, em um último esforço o guerreiro avançou, se tivesse que morrer e voltar como um Desmorto pelo menos ele teria vingado sua vergonha, a vergonha de ter casado com uma louca, ela preparou-se para mais um disparo místico, mas foi impedida pelo Piquira caído e sem forças para ficar novamente de pé, derrubando-a no chão recebendo o golpe de cima para baixo da lâmina do herói desconhecido até então, exausto ele tomba e mesmo assim ela consegue liberar o lacre do sarcófago e rasteja em sua direção para obter seu prêmio. O guerreiro não percebeu antes que havia sido envenenado caiu no chão sem vida, mas retornaria em minutos depois como um Morto-Vivo também. O pobre soldado avançou ferozmente contra sua viúva e a atacou e ela sem forças para resistir começou a ser golpeada por ele e receber mordidas, as outras guerreiras e magas tentaram socorre-la mas em vão, o corpo da sua mestra havia padecido, o Piquira por sua vez sentia o veneno correr por suas veias e arremessando uma última bomba ele se despediu da própria vida e de todos ali presentes, a bomba havia caído por sorte próximo onde seu amigo guerreiro e as devotas estavam. A caverna ainda tinha inimigos, e as colunas fragilizadas pelos explosivos ruíram e o teto desabava, provavelmente não haveria sobreviventes de nenhum lado, mas nesse momento o corpo do Guerreiro e o da Amazona foram arrastados juntos, através de misteriosos tentáculos de luz, para dentro do sarcófago que se fechou com ambos dentro e assim a gruta desmorona de vez.
 
    Nesse momento tanto o Guerreiro e sua ex-mulher acordavam em um espaço amplo e vaziam, ambos flutuavam e tinham aspecto de pessoas vivas e inteiras, um objeto em forma de Cetro de Ferro pairava entre eles, era belo e estava cravejado de pedras preciosas, ambos decidem ir até o artefato, mas quem chegou nele primeiro foi ela, mas com sua alma enfraquecida o guerreiro conseguiu tirar de suas mãos e baniu sua alma para as profundezas do Mundo Inferior, logo em seguida o Cetro de Ferro lhe trouxe de volta a vida como se advinha-se o que seu possuidor queria, ele ressuscitou fora da gruta e estava de posse do artefato, e no meio do vilarejo deserto e sem vida ele apenas entrou em uma taverna e meditou sobre tudo o que se passou ali e jurou que nunca mais seria vitima de outro engano e usaria daquele poder para organizar Airy e seus povo, mas ele ainda não possuía controle sobre o Cetro de Ferro, mas ele não confiava em ninguém para ensina-lo a usa-lo, decidiu que aprenderia sozinho e com as próprias mãos ele começou aos pouco erguer um memorial para os falecidos na gruta, posteriormente seu vilarejo começou a ser repovoado, e ninguém a não ser ele sabia o que realmente havia acontecido ali, o guerreiro também percebeu que parou de envelhecer, de um soldado plebeu virou em alguns séculos o fundador de um Reino, o Reino dos Homens e de seus Sósias.
 
Explicação para o surgimento dos sósias:
 

    O Reino de Amare não é conhecido apenas por ser um Reino totalmente patriarcal, mas também por que sósias de todo o mundo podem ser encontrados nele, talvez isso seja o resultando dos comandos do subconsciente do seu fundador, que se sentia triste em ter perdido tudo e não queria que outros perdessem principalmente seus ente queridos criando assim uma “réplica aproximada” das pessoas, estrangeiros que nada tiveram haver com o incidente lendário possuem chances de terem um sósia no Reino dos Homens, mas nenhuma pessoa exceto o seu possuidor tem uma explicação para isso, e criam muitas e muitas teorias sobre o tema, alguns acham que é castigo pois temem levar a culpa por um crime que nunca cometeram (caso o sósia faça algo de errado é claro).

Conhecimentos gerais sobre o Reino.
 
   O Reino de Amare começou a se desenvolver depois que Sarkan (o guerreiro da históra contada), apareceu como um bem feitor para os novos colonos, depois de aprender aos poucos a utilizar o poder do artefato, ele realizava pequenos e médios milagres e outros feitos.
 
    Não era o plano de Sarkan de ser tornar uma figura política, ele pensava em se tornar Aventureiro, mas estava cansado de batalhas e decidiu tentar levar uma vida pacifica apenas fazendo o seu melhor pelas pessoas e assim seu nome crescia entre as pessoas de Airy (e talvez de toda a Arcano), mas a medida que seu poder crescia, crescia também seu status, de plebeu a governador, de governador a rei e era contado para se tornar um deus, sua vila no futuro se tornaria algo bem maior e a influencia do semi-deus se expandia, até um credo próprio foi criado e as leis do Reino dos Homens e dos Sósias são baseadas nas doutrinas de seu fundador com base em sua experiência do passado e de séculos de vida. Sarkan fez uma aliança com o povo Piquira, pois as suas engenhocas eram interessantes e ele gostava delas, como também foi um jeito de homenagear um antigo aliado e amigo (se o seu cajado tem poder de ressuscitar mortos ele nunca descobriu) e o reino possui uma boa quantidade deles como parte de seus povos.
 
    Os Sósias são uma peculiaridade a parte, mesmo sem querer o Imortal usava o seu poder nas mulheres grávidas do reino, isso a principio deu muita confusão, mas acabou se tornando uma atração turística a parte já que no Reino nasciam pessoas semelhantes a outras em todos os outros paises do continente tornando o país um lugar único no mundo, o problema é que isso também era um artifício que bandidos poderiam usar para se safarem de acusações, levantando falsos testemunhos contra inocentes, sendo que no fundo no fundo isso é resultado do desejo do Imortal guerreiro Sarkan de reaver seus amigos de volta e o Cetro de Ferro cria essas “cópias” devido a influencia do seu subconsciente.


Última edição por Pontus Maximus em Dom 27 Jul 2014, 18:36, editado 2 vez(es)
avatar
Pontus Maximus
Soldado de Deus
Soldado de Deus

Mensagens : 1984
Pontos de Experiência : 11868
Boa Fama : 16
Data de inscrição : 15/05/2012

Ficha do personagem
Básico:
Vantagens/Desvantagens/Perícias:
Descrição História:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Amarê

Mensagem por Mataro em Qui 24 Jul 2014, 23:38

Ta ficando legal Smile

Gostei.

★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★★
avatar
Mataro
Arcano Imperial
Arcano Imperial

Mensagens : 3111
Pontos de Experiência : 16362
Boa Fama : 15
Data de inscrição : 31/03/2012
Localização : Airy

Ficha do personagem
Básico:
Vantagens/Desvantagens/Perícias:
Descrição História:

Ver perfil do usuário http://nonplusrpg.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Amarê

Mensagem por Pontus Maximus em Seg 28 Jul 2014, 15:19

No primeiro post eu atualizei na parte que diz "conhecimentos gerais sobre o reino"

Agora vai um pouco mais.

Algumas Tradições e Leis:
 
   No Reino dos homens ao contrário de Poranga, nunca houve regentes mulheres e pelo o que tudo indica jamais haverá, pois os estatutos criados pelo seu fundador proíbem que as mulheres exerçam qualquer cargo de comando na sociedade. Dando ao reino uma fama totalmente patriarcal, isso se deve ao fato de que na visão de Sarkan e de vários outros homens (tanto pessoas comuns como de governantes) que os “eixos” só podem estar nos seus devidos lugares dessa forma, todos os demais lugares de Airy (com exceção de Poranga) são governados em sua maioria por regentes masculinos, a crença não é só local, mas também geral, mulheres tem permissão de gerenciar apenas os seus próprios negócios, mas o fundador reconhece o poder feminino e elas são capazes de grandes proezas, ele e os homens do Reino concordam com isso tanto que elas tem permissão para exercerem profissão de aventureiras, mas com algumas restrições, nenhuma mulher pode ser Cavaleiras, Guerreiras, Lutadoras, Monges, Samurais e muito menos uma Bárbara (estes tipos de aventureiras são muito mau vistos pelo povo principalmente uma mulher mais musculosa que um homem sendo assim elas podem comprar no máximo F2 em 3D&T  ou For 14 em TRPG) pois isso não combina com o papel delas, como também é proibido no reino mulheres terem músculos como os de um homem, as mulheres do Reino não discordam com esse fator cultural pois elas mesmas rejeitam a idéia de serem masculinizadas por assim dizer, mas todas as Profissões são permitidas para elas, e as mais incentivadas são as de Bardas, Clérigas, Druidas, Eruditas, Feiticeiras, Ladinas (como Especialistas em armadilhas e outros ofícios, nunca como batedoras de carteira e bandidas em geral), Magas, Nobres, Rangers, Samaritanas, Paladinas existem porém são extremamente raras. Contudo para os homens praticamente qualquer Classe é permitida para eles sem problemas, pois o credo de Sarkan prega que Ordem deu instruções para ele que fosse assim, cabe ao homem o papel de herói e mártir e que as mulheres deveriam auxilia-los sempre que fosse preciso, pois desde os primórdios o sustento sempre foi provido a família por aquele que fosse o mas forte do lar, os homens do Reino quando se deparam com mulheres que exercem tais funções reagem negativamente mas tentam demonstrar seu descontentamento com ações que provem que ele tem razão ao invés de “puxarem uma briga” (mas nem todos são tolerantes a esse ponto e tentam promover uma “guerra santa” as vezes, esse tipo de individuo não costuma ser comum). As mulheres podem atuar como Soldados, Guardas, Delegados, Prefeitos entre outros contudo os cargos de liderança máxima são sempre para os homens ou seja, a cultura e o credo local de Sarkan "o deus menor da sabedoria" ensina que a mulher pode exercer cargos de liderança apenas com outras mulheres, crianças e seus inimigos, mas ao homem é dado o comando de todos, mas existem exceções, as mulheres do reino aprendem a liderar até que apareça alguém digno de liderar a todos, assumindo assim o papel de chefia por um tempo limitado. 
 
       A visão da submissão feminina é aceita em diversos lugares também fora do Reino de Amare, mas sempre ouve aqueles que discordaram dessa visão “machista”, a tribo das Amazonas Protetoras pregam que as mulheres são superiores aos homens e que eles e não elas é que deveriam se submeter ao domínio do sexo feminino, há também alguns descontentes (em sua minoria absoluta) que luta contra as crenças patriarcais pregando igualdade de gênero, a maioria do povo (inclusive mulheres) defendem que o mais forte por natureza governe o mais fraco e o mais fraco seja sustentado e se sujeite ao mais forte (ou seja o domínio do homem sobre a mulher é algo natural, tentar mudar isso é contra ir a ordem natural das coisas). Sarkan não quer que o passado se repita.
 
   O uso do véu (um tecido que cobre a parte superior da cabeça e o rosto com exceção dos olhos) é um acessório obrigatório para todas as mulheres do reino e estrangeiras, ser vista com a face descoberta em público é crime previsto pelas leis locais, toda mulher que não possui um deve acompanha a guarda local até obter um gratuitamente nos postos de vigilância mais próximos, máscaras também são utilizadas, mas não possuem muita aceitação pelo público feminino, em caso de desobediência penalidades maiores podem ser aplicadas de acordo com o Delegado local, o culto de Sarkan prega que as mulheres devam ser modestas, pois a beleza muitas vezes é usada para destruir muito mais que um homem, contudo está lei (apesar de ser obedecida a risca e com rigor), é comum uma mulher usar do seu véu como um chamariz a mais para seduzir homens. Todavia uma mulher com seu rosto coberto recebem não apenas elogios, mas também demonstra que respeita os homens, o véu tem como objetivo também de protegê-las de más intenções, Sarkan prega que isso também é uma ordem de Ordem, os homens de todas as raças não precisam velar o rosto, mas as mulheres sim pois é comum as fêmeas de uma raça serem subjugadas de forma cruel quando expostas demais aos olhos de um malfeitor, quando um aventureiro masculino (nativo do reino) se depara com as aventureiras sem velarem a face pode acontecer um conflito de culturas (a reação e a tolerância dependem do individuo para individuo).
 
    As Leis e Tradições ensinadas por Sarkan as vezes se confundem com as leis do próprio Sarkan e do criador do mundo Ordem, nem sempre conseguindo diferenciar os dogmas de um com os do outro, os estudiosos debatem entre si para chegar a conclusões, mas nem sempre conseguem chegar ao ponto final de um debate, e outra tradição que vigora em Amarê (que levanta polêmica as vezes) é a restrição ao uso de calças compridas por parte das mulheres, o uso de saias ou vestidos para elas é amplamente incentivado por parte da população, os mais comuns são aquelas que ficam acima dos joelhos, a lei e os costumes locais garantem o direito delas de receberem 10 Barões por dia completo quando estão “devidamente” vestidas, os fiscais andam pela cidade para preservação dos “bons costumes” por assim dizer e são competentes nisso recompensando as pessoas quando elas obedecem as leis e tradições a risca, todavia mulheres que estejam trajando calças compridas (ou shorts) não são proibidas de andarem pelas ruas, elas são respeitadas e tudo mais porém deixam de receber o simbólico reconhecimento. OBS: Nos primórdios das raças, tanto homens como mulheres vestiam túnicas de pele e de tecido, para alguns é peculiar esse costume ser um tanto rígido no reino de Amarê, mas parece que muitos dos cidadãos locais não se importam com isso e seguem as tradições fielmente.
 
    Aos homens residentes no Reino é obrigatório o trabalho e a profissão (se nas mais diversas áreas), nenhum homem de Amarê pode ficar sem produzir para a sociedade (exceto se estiver doente), preguiça é punível com trabalhos forçados ou até a expulsão do Reino, no caso das mulheres ter um emprego é opcional, contudo se a mesma não for uma aventureira ou mercadora, negligenciar seu compromisso para com o marido, ela estará sujeita a mesma sentença ou pagamento de multa.Também é de lei o uso de cabelos curtos para homens e cabelos compridos para mulheres (residentes no pais).
 
    Mas existem leis e ordenanças igualitárias também, principalmente quando se trata de crimes cometidos, as penas variam muito mas a pena de morte somente é aplicadas em casos de estupros e assassinatos, mas a vitima tem o direito de perdoar seu agressor, mas mesmo assim o mesmo esta sujeito a prisão perpetua em casos extremos, crimes menores como roubo o criminoso pode desde permanecer na prisão, ser obrigado realizar trabalhos forçados e em último caso ter a mão cortada (tudo depende do nível do crime e da decisão do Juiz).
 

    É direito de todo morador de Amare e visitantes que estiverem dentro das leis e ordenanças religiosas um beneficio adicional de 50 Barões semanais extras, pode não parecer ser muito, mas nunca se sabe quando os tempos das “vacas magras” podem chegar.
avatar
Pontus Maximus
Soldado de Deus
Soldado de Deus

Mensagens : 1984
Pontos de Experiência : 11868
Boa Fama : 16
Data de inscrição : 15/05/2012

Ficha do personagem
Básico:
Vantagens/Desvantagens/Perícias:
Descrição História:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Amarê

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum